Welink Legal Welink Legal
indemnizaco-apos-despedimento

Como negociar a sua indemnização após um despedimento?

Welink Legal

Welink Legal

Que bónus podem ser negociados em caso de despedimento?

Para além da indemnização por despedimento legal, o empregado pode negociar bónus adicionais.

Prémios anuais

Um empregado pode solicitar que todos os bónus anuais sejam tidos em conta no cálculo da indemnização por cessação de funções. O bónus de final de ano, por exemplo, está incluído entre estes.

Bónus

A realização dos objectivos estabelecidos no início do ano permite aos trabalhadores receberem bónus específicos. Estes montantes representam a parte variável do salário.

 

Em caso de despedimento com contrato permanente, um empregado pode receber uma parte proporcional do prémio, mesmo que abandone a empresa antes da data fixada para atingir os objetivos.

 

Em certos casos, o Código do Trabalho francês não permite o pagamento de prémios com base nos objectivos do trabalhador despedido. Face a esta situação, recomenda-se a negociação. Para o fazer, o empregado deve demonstrar os bons resultados obtidos durante o seu trabalho.

E quanto à cláusula de não concorrência

No momento da saída da empresa, o empregado pode negociar a renúncia clara e inequívoca do empregador à aplicação da cláusula de não concorrência ou o montante da contrapartida financeira pela cláusula de não concorrência.

 

A cláusula de não concorrência significa que o empregado está proibido de exercer uma atividade que possa ser prejudicial ao seu antigo empregador após a rescisão do contrato. Esta cláusula está geralmente incluída no contrato de trabalho.

As condições da cláusula de não-concorrência

Para ser legal, a cláusula de não concorrência deve satisfazer certos critérios:

  • Em primeiro lugar, deve ser indispensável para a proteção legítima dos interesses da empresa. É limitado no espaço e no tempo e pode ser revisto pelo tribunal;

  • Esta cláusula deve também ter em conta as especificidades do trabalho do empregado e ser acompanhada por uma contrapartida pecuniária. Esta cláusula deve também ter em conta as especificidades do emprego do empregado e ser acompanhada de uma compensação financeira. Esta última é expressa pelo pagamento de uma indemnização ao empregado no termo do contrato, em troca do seu compromisso de não concorrer com o seu empregador;

  • De acordo com a Câmara Social do Tribunal de Cassação n.º 04-46-271 de 16 de Novembro de 2006, esta consideração deve ser razoável (pelo menos um terço do antigo salário). Caso contrário, a cláusula de não concorrência será considerada nula e sem efeito.

O empregado pode, portanto, não cumprir a cláusula na ausência de consideração ou no caso de o valor da consideração ser insuficiente.

Cláusula de não concorrência respeitada pelo empregado

Se o empregado cumprir a cláusula de não concorrência, pode reclamar em tribunal o montante que lhe é devido. Se houver prejuízo, o trabalhador pode reclamar uma indemnização em tribunal como compensação.

Cláusula de não concorrência cancelada pelo empregador

Se o empregador isenta o empregado da obrigação de não concorrência, o empregador não terá de pagar qualquer contrapartida ao empregado. Esta possibilidade será prevista na convenção colectiva ou no contrato de trabalho e o trabalhador deve ser informado desta possibilidade.

E quanto ao seguro mútuo e benefícios materiais após o despedimento?

Desde Janeiro de 2016, o seguro mútuo colectivo é obrigatório. Todos os trabalhadores devem, portanto, beneficiar de protecção sanitária e o empregador terá de contribuir com um mínimo de 50% para o montante da contribuição.

 

Como parte de um procedimento de despedimento, o trabalhador pode continuar a beneficiar do seguro complementar de saúde sob certas condições.

Seguro de Desemprego

O empregado deve ter direito à cobertura do seguro de desemprego e aderir ao regime de seguro de saúde da empresa. Além disso, a razão para o despedimento não deve ser negligência grosseira.

 

A manutenção dos direitos corresponde ao período de subsídio de desemprego, ou seja, a um período de 12 meses.

Benefícios materiais

Para além de manter o plano de seguro de saúde, o empregado pode negociar certos benefícios materiais adicionais ao deixar a empresa.

 

  • O empregado pode, por exemplo, fazer um pedido para poder ficar com o seu carro da empresa quando sair da empresa. A empresa terá de comprar o carro de volta ao locador se não o possuir. O empregado pode então proceder à negociação da compra do carro ao preço mais justo. Quanto ao empregador, ele não terá o direito de pedir a devolução do veículo ao empregado em caso de dispensa de pré-aviso;
  • Além do carro da empresa, o empregado pode pedir para ficar com o seu tablet, smartphone e computador antes de deixar a empresa. Embora estes sejam os elementos mais simples de negociar, ainda é necessário verificar a legalidade da transferência do software sobre os dispositivos.

Como é que conhece o seu poder de negociação?

É possível negociar indemnizações mais elevadas em caso de despedimento. Para o fazer, é essencial que o empregado conheça o seu poder de negociação.

Se a rescisão vier do empregador

O empregado despedido pode ser o mestre da negociação, se o despedimento for por iniciativa do empregador. Em caso de defeito de consentimento, pode mesmo pedir a anulação da violação do contrato, desde que forneça provas válidas.

 

É importante saber que o empregador terá de reclassificar o empregado antes de tomar quaisquer medidas para o despedir. Caso contrário, o trabalhador pode pedir uma indemnização por despedimento injustificado.

Se a rescisão vier do empregado

Por outro lado, se o empregado é o candidato à rescisão do contrato de trabalho, as suas capacidades de negociação são fracas.

 

Contudo, estes podem aumentar se o empregado estiver na posse de elementos susceptíveis de dar origem a uma disputa e influenciar a reputação da empresa: assédio, faltas repetidas ou erros de pagamento, não pagamento de horas extraordinárias, etc.

 

O despedimento de um empregado em caso de quebra de contrato obriga o empregador a pagar uma indemnização. A negociação é necessária para receber mais indemnizações, bónus, assim como benefícios materiais.

É advogado ou solicitador?

Referencie o seu escritório no primeiro website especializado para advogados e solicitadores!